Ban condena atentados que mataram 140 no Iraque

Nações Unidas, 24 abr (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou hoje o que chamou de atrozes atentados suicidas com bombas realizados no Iraque e que mataram pelo menos 140 pessoas, entre elas um grande número de peregrinos iranianos.

EFE |

Em comunicado, Ban expressou seu "mais sentido pêsame" às famílias das vítimas e reconheceu estar "particularmente consternado" ao saber que um dos terroristas era uma mulher acompanhada por uma criança de cinco anos.

"Nada pode justificar atos tão reprováveis", afirmou Ban, que se uniu aos iraquianos "na rejeição a essas tentativas de incitar mais violência no país".

Fora isso, reiterou o compromisso das Nações Unidas em "apoiar o Iraque em seus esforços para conseguir uma paz duradoura e a reconciliação nacional".

Pelo menos 60 pessoas morreram hoje no Iraque e 130 ficaram feridas por dois atentados suicidas simultâneos registrados em um santuário xiita do norte de Bagdá, segundo informaram à Agência Efe fontes policiais.

As explosões aconteceram apenas um dia depois que 78 pessoas morreram e mais de 120 ficaram feridas por outros dois atentados, um deles contra peregrinos xiitas iranianos na província de Diyala e outro no centro de Bagdá. EFE mgl/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG