Ban condena atentado contra embaixada da Índia em Cabul

Nações Unidas, 7 jul (EFE) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou hoje duramente o atentado com carro-bomba contra a embaixada da Índia em Cabul, no qual morreram 41 pessoas.

EFE |

A porta-voz da ONU, Michèle Montas, disse que Ban reiterou seu convencimento de que "nenhuma agenda política ou reivindicação pode justificar estes métodos censuráveis" e pediu que os responsáveis do ataque sejam processados judicialmente.

Ban "envia suas mais profundas condolências aos Governos do Afeganistão e Índia, e aos parentes dos mortos, assim como deseja uma rápida recuperação aos feridos", acrescentou Montas.

Por outro lado, em um relatório ao Conselho de Segurança publicado hoje, o secretário-geral da ONU manifestou sua preocupação com o aumento da insegurança no Afeganistão e advertiu da necessidade de aumentar o dispositivo de segurança da Missão de Assistência das Nações Unidas no país (Unama).

Ban destacou no texto o aumento do nível da atividade dos "insurgentes e terroristas" dos talibãs no sul e no leste do país.

"É extremamente preocupante que, em maio de 2008, tenha sido registrado o maior número de incidentes no país desde a queda do regime talibã, em 2001", assinalou.

O responsável da ONU reiterou o respaldo à nova estratégia elaborada na conferência internacional sobre o Afeganistão em Paris de 12 de junho, na qual os participantes se comprometeram a fornecer US$ 20 bilhões à reconstrução do país.

Por isso, assegurou que a Unama precisa de um aumento de pessoal e recursos se quer que sejam realizadas suas obrigações, entre as quais se encontra assistir na realização de eleições, na direção e coordenação de projetos de desenvolvimento, assim como fortalecer a administração pública afegã.

"A Unama poderá cumprir seu mandato dependendo do grau em que os aliados internacionais e o Governo do Afeganistão apóiem o fortalecimento de sua função de coordenação, e estejam à altura dos compromissos contraídos na conferência de Paris", acrescentou.

O atentado de hoje contra a embaixada indiana é o mais violento registrado este ano na capital afegã.

Cinco das 41 vítimas fatais trabalhavam na embaixada atacada, mas a maioria era de civis afegãos, incluindo crianças e mulheres, que faziam fila na porta para obter visto, segundo fontes oficiais. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG