Nações Unidas, 7 out (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou hoje os últimos ataques contra as forças internacionais de paz na província sudanesa de Darfur e responsabilizou o Governo de Cartum e os grupos rebeldes pelo ocorrido.

"O Governo do Sudão e os grupos armados que operam nessa área são responsáveis pela segurança e por conter os ataques contra os civis e as forças de paz da ONU", assegurou Ban em declaração escrita divulgada pelo porta-voz da organização.

Um soldado nigeriano das forças de pacificação da ONU e da União Africana em Darfur (Unamid) morreu alvejado por tiros no sul da região no oeste do Sudão, após ter sido atacado por um grupo armado de entre 40 e 60 homens, informou a ONU.

"O secretário-geral condena os ataques contra um comboio das tropas da Unamid quando patrulhavam a rota de Nayala a Khor Abéché", disse a mesma fonte, que negou que um soldado nigeriano tenha morrido na emboscada.

Ban enviou suas condolências ao Governo da Nigéria e aos parentes da vítima e ressaltou que "todas as partes" no conflito do Sudão "têm a responsabilidade de respeitar o mandato e a integridade da operação da Unamid em Darfur".

A região ocidental de Darfur vive uma crise de conseqüências humanitárias muito graves desde fevereiro de 2003, quando dois grupos rebeldes pegaram em armas contra o regime de Cartum em protesto pela deteriorada situação da província.

Desde então, cerca de 300 mil pessoas morreram e outros dois milhões e meio se viram obrigadas a abandonar seus lares, segundo cálculos da ONU. EFE emm/rr

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.