Ban condena assassinato de voluntários na Somália e no Afeganistão

Nações Unidas, 20 out (EFE) - O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou hoje os assassinatos de três voluntários ocorridos nos últimos dias na Somália e no Afeganistão e se mostrou alarmado com o aumento da violência contra aqueles que trabalham para aliviar o sofrimento das vítimas de conflitos.

EFE |

A porta-voz da ONU, Michèle Montas, disse que Ban está "profundamente consternado" com a morte dos três voluntários nos dois países nos últimos três dias e transferiu os pêsames a seus parentes, colegas e amigos.

Ban "despreza estes atos de violência deliberada contra aqueles que tentam aliviar a grave situação que sofrem os cidadãos somalis e afegãos", afirmou.

Montas destacou que o secretário-geral da ONU está alarmado com o aumento dos assassinatos e seqüestros de voluntários nos dois países.

"(Ban) Pede a todas as partes para respeitar o estatuto neutro e imparcial do pessoal humanitário para permitir que continue realizando um trabalho que fornece uma assistência vital aos milhões de somalis e afegãos que dependem desse apoio para sobreviver", acrescentou.

Um funcionário local do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) foi assassinado hoje por desconhecidos em Hudur, ao sul da Somália.

Na última sexta-feira, um funcionário local do Programa Mundial de Alimentos (PMA) identificado como Abdinasir Aden Muse foi baleado quando saía de uma mesquita em Abrone, perto de Merca, situada a 75 quilômetros de Mogadíscio.

Às suas mortes se soma a de uma voluntária sul-africana que hoje foi baleada por dois homens armados que circulavam em motocicleta no oeste da capital do Afeganistão, Cabul. EFE jju/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG