Ban apóia cúpula regional convocada para superar a crise do Zimbábue

Nações Unidas, 11 abr (EFE).- O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, manifestou hoje seu apoio à cúpula de países do sul da África que será realizada amanhã em Lusaka (Zâmbia) para achar uma saída à crise política vivida pelo Zimbábue após as eleições presidenciais.

EFE |

A porta-voz da ONU, Marie Okabe, disse que Ban parabeniza os países membros da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC, em inglês) pela convocação da "oportuna" reunião na capital da Zâmbia.

"O secretário-geral está muito satisfeito pela mobilização e a coordenação dos líderes regionais para ajudar o Zimbábue a superar a crise posterior às eleições por meios pacíficos", apontou.

A porta-voz acrescentou que Ban se preocupa com a possibilidade de que a situação no Zimbábue se deteriore, caso não se tome alguma medida em breve para superar o ponto morto em que se encontra.

O país do sul da África se encontra imerso em um limbo político por conta da negativa da Comissão Eleitoral em divulgar os resultados do pleito presidencial do dia 29 de março.

Espera-se que os 14 chefes de Estado e do Governo dos países-membros da organização assistam à Cúpula convocada.

Também anunciou sua presença o líder da oposição zimbabuano, Morgan Tsvangirai, que afirma ter ganhado nas urnas do presidente Robert Mugabe, no poder desde 1980.

As autoridades eleitorais argumentam que os dados precisam ser verificados primeiro, o Governo de Harare pede mais tempo e a oposição recorreu à Justiça, cansada de esperar.

O regime de Mugabe acredita que não houve um claro ganhador na votação e antecipa um segundo turno.

A SADC sempre tratou Mugabe com indulgência e se negou a sancioná-lo inclusive nos piores momentos de repressão política no Zimbábue.

Além disso, os líderes da região sempre aprovaram o pleito do Zimbábue, apesar das denúncias de fraude da oposição. EFE jju/fb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG