Balanço oficial de vítimas do terremoto na China supera 12.000 mortos

O terremoto de segunda-feira na China deixou mais de 12.000 mortos e milhares de pessoas ainda estão desaparecidas, informou nesta terça-feira a agência oficial Xinhua.

AFP |

Somente na província de Sichuan, a mais afetada pelo tremor de 7,9 graus na escala Richter, mais de 12.000 pessoas morreram e pelo menos 9.400 estão soterradas nos escombros, indicou a agência, que citou como fonte o vice-governador da província.

Contudo, persiste uma certa confusão em torno dos números totais, difíceis de se estabelecer com exatidão pelo tamanho do desastre e os problemas de comunicação.

A Xinhua citou autoridades da cidade de Mianyang, próxima do epicentro e situada em Sichuan, que davam um balanço local de 3.629 mortos e 18.645 pessoas presas nos escombros.

Porém, segundo o vice-governador de Sichuan, Li Chengyun, 7.395 pessoas morreram em Mianyang, 2.648 na cidade vizinha de Deyang e 959 na capital da província, Chengdu.

O epicentro se situou no distrito de Wenchuan, uma região montanhosa de mais de 100.000 habitantes, mas até agora se tem poucas informações sobre esta área, de difícil acesso, pela destruição das estradas.

As regiões vizinhas de Sichuán também foram afetadas pelo tremor.

A agência Nova China informou 213 mortos na província de Gansu, 85 em Shaanxi, um em Yunán e oito na metrópole de Chongqing.

O centro nacional de resgates, por sua vez, citou 50 motos em Chongqing.

O terremoto de segunda-feira foi o mais forte a atingir a China desde 1976, que praticamente destruiu a cidade de Tangshan, leste de Pequim, deixando um balanço oficial de 242.000 mortos, apesar de especialistas citarem mais de 700.000 vítimas fatais.



    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG