Balanço de vítimas de tempestade nas Filipinas não para de aumentar

Centenas de milhares de filipinos desabrigados encontraram refúgio nas escolas, ginásios e até mesmo no palácio presidencial de Manila, ao mesmo tempo que o balanço da tempestade tropical que provocou as mais graves inundações nas Filipinas em 40 anos subiu a 246 mortos.

AFP |

Transformada em tufão ao seguir para o oeste, a Ketsana também matou 40 pessoas nesta terça-feira no centro do Vietnã.

Nas Filipinas, três dias depois da passagem da tempestade Ketsana, as autoridades, que pediram ajuda internacional na segunda-feira, admitem não ter mais como abrigar as pessoas sem casa.

Para agravar ainda mais a situação, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) advertiu que uma segunda tempestade tropical está em formação e ameaça o leste do arquipélago das Filipinas.

O fenômeno pode atingir o país nos próximos dois ou três dias, mas segundo a OMM é difícil prever os possíveis danos.

Segundo o balanço mais recente, 246 pessoas morreram vitimadas pela tempestade. As autoridades acreditam que 1,94 milhão de pessoas estão desabrigadas entre os 92 milhões de habitantes do país, enquanto 319.547 pessoas encontraram refúgio em centros de abrigo de urgência.

"Cada vez chegam mais pessoas. Não sabemos quanto tempo poderemos resistir", explica Joe Ferrer, diretor de um centro de abrigo na periferia de Manila.

Diante da urgência, a presidente filipina, Gloria Arroyo, anunciou nesta terça-feira a abertura excepcional do palácio presidencial Malacanang de Manila, onde foram recebidos centenas de refugiados.

"Os evacuados serão abrigados nas partes disponíveis dos edifícios do palácio Malacanang e nas barracas que serão montadas", declarou Arroyo.

"Se for necessário, nossos funcionários deixarão seus locais de trabalho para liberar o espaço", completou.

cgm-kma/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG