Balanço de atentado no Paquistão sobe a 101 mortos

O balanço do atentado suicida cometido sexta-feira durante uma partida de vôlei em uma aldeia do noroeste do Paquistão subiu para 101 mortos neste domingo, anunciou a polícia.

AFP |

"O balanço é agora de 101 mortos, e 69 feridos ainda estão no hospital", declarou o chefe da polícia do distrito de Bannu, Mohammad Ayub Khan, contactado por telefone.

"Um ferido morreu em Lakki Marwat, e uma menina faleceu no hospital de Bannu. Ambos foram enterrados durante a tarde", acrescentou.

O atentado suicida de sexta foi o terceiro mais mortífero da história do Paquistão.

O ataque ainda não foi reivindicado, mas segundo o chefe da polícia o camicase veio do Waziristão do Sul, o distrito vizinho, onde o exército paquistanês combate os rebeldes talibãs desde outubro.

"Prendemos 41 suspeitos, que estão sendo interrogados", destacou.

Sexta-feira, um camicase explodiu seu carro-bomba no meio de uma quadra de vôlei onde estava acontecendo um jogo assistido por 200 pessoas em Shah Hasan Khan, uma aldeia próxima às zonas tribais da fronteira com o Afeganistão onde o exército luta contra os talibãs aliados à Al-Qaeda.

Os moradores continuaram neste domingo a vasculhar os escombros das cerca de 20 casas que desabaram na hora da explosão. Muitos deles se queixaram da impossibilidade de socorrer rapidamente os feridos mais graves.

"Não havia um único lugar para atender os feridos em todo o distrito", reclamou Mannawar Khan, um representante das autoridades locais, acusando os serviços de saúde da província de faltar com suas obrigações.

O ministro da Saúde da província onde fica Bannu, Syed Zahir Ali Shah, admitiu que apenas um dos dez médicos do hospital de Lakki Marwat, a cidade mais próxima, estava trabalhando no dia do atentado. Ele reconheceu que a falta de tratamento adequado "provocou um aumento do número de vítimas", e anunciou a abertura de uma investigação.

la/yw

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG