Bucareste - A baixa participação marca as eleições legislativas em curso na Romênia, já que, nas três primeiras horas do pleito, menos de 5% dos eleitores foram votar, segundo o Escritório Eleitoral Central (BEC, em romeno).

Às 10h (6h de Brasília), 4,87% dos 18,3 milhões de romenos com direito a voto tinham depositado sua cédula nas seções espalhadas pelo país.

Na capital Bucareste, onde mais de 1,8 milhão de pessoas estão aptas a votar, apenas 3,66% dos eleitores tinham se apresentado nos colégios eleitorais até as 10h locais.

Os opositores Partido Social Democrata (PSD) e Partido Conservador (PC), junto com o Partido Democrata Liberal (PDL) lideram as pesquisas, com 34% das intenções.

O líder do PSD, Mircea Geoana, votou em Dabuleni, localidade rural no sul da Romênia, onde disse que "operários, camponeses, aposentados, a família jovem e os empregados" sabem que seu partido pode protegê-los melhor em tempos de crise.

As dificuldades econômicas beneficiam os ex-comunistas do PSD, que, com um programa eleitoral repleto de propostas sociais, atraíram os romenos que temem que a crise signifique um duro período de ajuste econômico.

Uma alta abstenção nas cidades, reduto dos partidos liberais, também favorece o PSD.

Leia mais sobre: Eleições na Romênia

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.