Bagdá tem dia de tensão após prisão de líder de milícia sunita

As forças de segurança iraquianas tomaram o controle neste domingo das principais ruas que levam a um distrito de Bagdá no qual ao menos três pessoas foram mortas na véspera após distúrbios provocados pela prisão de um líder de uma milícia sunita local. A prisão de Adil Mashadani provocou confrontos entre os integrantes de sua milícia e as forças americanas e iraquianas responsáveis por sua prisão, sob a acusação de promover ações terroristas.

BBC Brasil |

Neste domingo, soldados americanos circulavam pelo bairro de Fadil para pedir aos militantes que entregassem suas armas.

Autoridades militares americanas estão tentando negociar a soltura de cinco soldados iraquianos que foram tomados como reféns pela milícia durante os confrontos.

O bairro de Fadil foi ocupado e controlado pela Al-Qaeda no Iraque na maior parte de 2006 e 2007, mas desde então é controlado pelo grupo de Mashadani, o Movimento Despertar.

O Despertar é formado por um grupo de militantes que antes se aliavam à Al-Qaeda, mas que posteriormente trocaram de lado nas disputas locais.

O vice-líder do movimento disse temer que seus integrantes sejam recrutados novamente pela Al-Qaeda se não tiverem perspectivas de futuro.

O Movimento Despertar, ou Filhos do Iraque, como os Estados Unidos se referem a ele, é considerado responsável pela redução na violência na região, ajudando a expulsar a Al-Qaeda de partes de Bagdá, da província de Anbar, no oeste do país, e de cidades do norte do Iraque.

O grupo conta com cerca de 100 mil membros em todo o Iraque, que eram pagos pelo Exército americano até o governo iraquiano assumir o comando das operações.

Analistas dizem que a maneira como o governo liderado por xiitas se relacione com os militantes árabes sunitas com os quais antes lutava deverá ser um dos maiores testes dos esforços para estabilização do Iraque até 2010, quando os Estados Unidos pretendem concluir a retirada de suas tropas do país.

Segundo um comunicado das Forças Multinacionais no Iraque, a operação em Fadil foi liderada pelos serviços de segurança iraquianos.

O comunicado também afirma que a prisão de Mashadani não tem relação com sua posição de líder local do Movimento Despertar.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG