Bagagem de representantes do Hamas passa por revista especial no Cairo

Cairo, 5 fev (EFE).- Autoridades fronteiriças do Egito obrigaram hoje os membros de uma delegação do Hamas que esteve negociando no Cairo a passar suas bagagem pelo detector de explosivos, disseram fontes oficiais.

EFE |

Esta é a primeira vez que se sabe que os enviados do Hamas - que participaram de várias rodadas de negociações com mediadores egípcios desde o início do recente conflito em Gaza - tenham passado por este tipo de procedimento.

Um funcionário egípcio do posto fronteiriço de Rafah, que preferiu manter sua identidade em sigilo, disse por telefone à Agência Efe que o procedimento atrasou a saída do país da delegação do movimento palestino.

"Foi ordenado que os três membros da equipe passassem suas bagagens pelo detector de explosivos, antes de atravessarem a fronteira", acrescentou a fonte.

A princípio, os integrantes da delegação se negaram a ser submetidos a essa revista, o que atrasou a saída deles do Egito, até que finalmente aceitaram, acrescentou a fonte.

Entre os representantes do Hamas, estavam Salah al-Bardawil e Ayman Taha, que lideraram a delegação do Hamas que foi convidada pelo Egito para participar de conversas que permitam consolidar a trégua em Gaza, vigente desde 18 de janeiro.

Não foi possível estabelecer contato por telefone com nenhum destes dois delegados do Hamas para confirmar este procedimento.

Um jornal governamental egípcio informou sobre um suposto acordo do Hamas para uma minuta final de um pacto com Israel para consolidar a trégua de Gaza, mas essas versões não foram confirmadas pelos representantes do movimento palestino, que disseram que as negociações continuarão nos próximos dias.

O terminal de Rafah, a única saída de Gaza que não passa por território israelense, só é aberta muito esporadicamente para permitir a passagem de material médico e o transporte de feridos.

EFE nq/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG