Bachelet diz que América do Sul não pode se dar ao luxo de minimizar Unasul

Brasília, 22 mai (EFE).- A presidente do Chile, Michelle Bachelet, disse hoje em Brasília que a América do Sul não pode se dar ao luxo de minimizar a oportunidade que a região tem de integração com a constituição da União de Nações Sul-Americanas (Unasul).

EFE |

Pouco depois de chegar a Brasília para assinar o tratado de constituição da Unasul, a governante chilena afirmou que as tarefas de integração "são essenciais no momento de resolver os problemas que são comuns".

Bachelet lamentou o fato de o ex-presidente equatoriano Rodrigo Borja ter se recusado a assumir a Secretaria Executiva da Unasul, decisão anunciada horas antes da cúpula e justificada pelas divergências com a maioria dos presidentes dos 12 países-membros.

"O ex-presidente Borja teve suas razões para recusar e tenho certeza de que os presidentes vão saber como encontrar um novo secretário e estabelecer regras claras que nos permitam avançar", afirmou.

Segundo Bachelet, "os países não podem se dar ao luxo de minimizar esta grande oportunidade" oferecida pela Unasul.

Perguntada sobre a possibilidade de assumir a Presidência rotativa da Unasul, à qual a Colômbia renunciou devido a seu conflito com Equador e Venezuela, Bachelet respondeu que será um assunto que deve ser resolvido amanhã pelos presidentes.

Fontes da Presidência chilena disseram que Bachelet decidiu que só aceitará esta missão se houver um consenso entre os 12 países.

EFE ed/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG