Santiago do Chile, 26 ago (EFE).- A presidente chilena, Michelle Bachelet, destacou o compromisso do senador americano Ted Kennedy, que morreu na última terça-feira, com a recuperação da democracia no Chile e sua defesa dos direitos humanos durante a ditadura de Augusto Pinochet.

"O senador Kennedy foi um grande político que apoiou os democratas chilenos em tempos muito difíceis em nossa pátria.

Levantou com força sua voz para denunciar violações aos direitos humanos, pedindo o restabelecimento da democracia", disse a governante chilena.

O senador americano faleceu aos 77 anos por causa de um câncer cerebral. Ele promoveu nos anos 70 a chamada Emenda Kennedy, que congelou a venda de armamento dos EUA ao Chile durante a ditadura no país (1973-1990).

Em 1986, Ted Kennedy visitou o Chile para conversar com as organizações democráticas e precisou deixar o aeroporto de helicóptero porque a Polícia secreta do regime organizou manifestações contra ele cujos participantes bloquearam os acessos ao local.

Em 23 de setembro de 2008, Bachelet concedeu ao parlamentar com a mais alta condecoração que o Chile pode dar a um estrangeiro, a Ordem ao Mérito do Chile no grau de Grã-Cruz.

"Em nome do Governo do Chile e de todo o país, gostaria de expressar nosso sentimento de pesar à família do senador Kennedy, ao Partido Democrata dos EUA, ao presidente Barack Obama e a todo o povo americano", acrescentou. EFE ns/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.