Bachelet busca consenso para chefia da Unasul, diz Morales

ASSUNÇÃO (Reuters) - A presidente chilena, Michelle Bachelet, pretende realizar uma série de viagens na busca de consenso em torno de um nome para chefiar a União Sul-Americana de Nações (Unasul), disse na sexta-feira o presidente boliviano, Evo Morales. Durante a cúpula de julho do Mercosul, o Chile já havia informado sobre consultas para definir o novo secretário-geral da Unasul, acéfala desde a renúncia do equatoriano Rodrigo Borja.

Reuters |

'A presidente [Bachelet] tem muito desejo de visitar muitos países como presidente pró-tempore da Unasul', disse Morales a jornalistas em Assunção, onde assistiu à posse do presidente paraguaio, Fernando Lugo.

A Unasul, criada como instrumento de integração regional, fará sua primeira cúpula em outubro no Chile.

O ex-presidente argentino Néstor Kirchner foi cotado para chefiar o bloco, mas essa especulação depois perdeu força.

Morales disse que 'há algumas diferenças' a respeito da indicação para o cargo, pois alguns países desejam que o secretário-geral seja um ex-presidente. 'Eu teria muitos problemas, vou ter que trazer dos Estados Unidos', brincou Morales, referindo-se ao seu impopular antecessor Gonzalo Sánchez de Lozada, que vive nos EUA desde que renunciou ao cargo de presidente.

Morales agradeceu os colegas dos demais países por elegerem a cidade boliviana de Cochabamba como sede do Parlamento da Unasul, que é formada por todos os 12 países independentes da América do Sul.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG