SANTIAGO - A presidente do Chile, Michelle Bachelet, anunciou na sexta-feira um plano de reconstrução da província de Palena, afetada pela erupção do vulcão Chaitén no sul do país. Pelo plano, um delegado presidencial permanecerá na região por entre um e dois anos.

O vulcão Chaitén iniciou uma violenta erupção na semana passada, que levou à retirada de milhares de pessoas devido à chuva de cinzas que afetou a região e atingiu amplas áreas do território argentino.

'O que primeiro queremos assinalar é o nosso compromisso e a convicção de desenvolver um plano de reconstrução da província de Palerna', disse Bachelet a jornalistas.

'Essa é uma tarefa que tem medidas de curto, médio e longo prazos, que é uma decisão de meu governo (...) de maneira a, brevemente, normalizar a situação nas zonas de Palerna que seja possível', acrescentou.

Bachelet de deslocou a Puerto Montt, a cerca de 200 quilômetros de Chaitén, onde manteve uma reunião com vários de seus ministros de Estado para ver em loco as medidas adotadas para mitigar o impacto deixado pela erupção.

A mandatária também encontrou-se com geólogos para informar-se sobre os possíveis cenários que poderiam ocorrer por conta do vulcão Chaitén.

'Outra das decisões que foram tomadas concretamente (...) é designar a partir da próxima semana um delegado presidencial para a província de Palena, para que conduza junto com a Intendência o que será este plano de reconstrução de Palena', disse Bachelet.

O enviado presidencial para coordenar os trabalhos de reconstrução permanecerá entre um e dois anos na região.

Depois de sua estada em Puerto Montt, base de operações do governo para enfrentar a crise, Bachelet viajaria neste sábado de helicóptero até uma base do exército nos subúrbios de Chaitén. Depois, irá à região de Alto Palena, também afetada por chuvas de cinzas emanadas pelo vulcão.

Leia mais sobre: vulcão Chaitén

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.