Bachelet adverte que Chaitén pode ser arrasada em seis minutos

Puerto Montt (Chile), 10 mai (EFE).- A presidente do Chile, Michelle Bachelet, afirmou hoje que a localidade de Chaitén, a dez quilômetros do vulcão de mesmo nome, em erupção desde 2 de maio, seria arrasada em seis minutos com o desabamento de uma coluna de cinzas, gases e material sólido incandescente.

EFE |

Em Alto Palena, onde se reuniu com habitantes e deslocados durante um percurso de helicóptero pela região, Bachelet disse que essa é a opinião dos especialistas, que avaliam se Chaitén, que está totalmente vazia, voltará ou não a ser habitada.

A presidente disse que, se o material vulcânico se estender por rios e vales, seria impossível voltar a ocupar a cidade, fundada em 1943 e capital da província de Palena.

Chaitén está praticamente no centro do anel de segurança de 50 quilômetros estabelecido em torno do fenômeno, diante da possibilidade de que a coluna sobre sua cratera desabe e caia sobre a zona, com material a altas temperaturas e a grande velocidade.

Seus mais de 4 mil habitantes são pouco menos da metade dos quase 9 mil moradores da província que foram evacuados.

Os deslocados solicitaram ao Governo alimentação para os animais e permissão para voltar a Chaitén e pegar seus pertences, mas as autoridades reiteraram que a zona crítica continuará fechada.

Na noite passada, Bachelet, que realiza a segunda visita à zona, anunciou um plano de reconstrução para a província e a nomeação de um delegado presidencial que ficará responsável pela implementação, por um período que pode oscilar entre "um e dois anos, o tempo que for necessário".

Em Santiago, o ministro da Presidência chilena, José Antonio Viera-Gallo, anunciou hoje que na próxima terça-feira o Governo informará detalhadamente as medidas, "que têm a ver com capital de trabalho, assistência técnica, bônus e a possibilidade de matrícula transitória ou permanente das crianças", entre outros.

"As pessoas prejudicadas têm a plena garantia, como expressou a presidente, de que o Governo não só vela por sua segurança, mas também pelo futuro de suas vidas", ressaltou, em entrevista coletiva.

O vulcão, segundo o último relatório do Escritório Nacional de Emergência (Onemi), permanece em atividade variável, com fumaça constante, e procedência de gases e cinzas persistente. EFE frf/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG