Avós da Praça de Maio identificam mais uma criança roubada na ditadura argentina

A organização humanitária Avós da Praça de Maio anunciou nesta sexta-feira a identificação de uma filha de desaparecidos, roubada ao nascer durante a ditadura argentina (1976-83), com o que somam 93 os netos arrebatados pelas forças da repressão que recuperaram sua verdadeira identidade.

AFP |

A filha em questão pertence a Juan Oscar Cugura e Olga Noemí Casado, ambos militantes do grupo peronista de esquerda armada Montoneros, informou a entidade em comunicado.

O casal foi capturado em 1977 quando a mulher de 20 anos estava grávida e deu à luz no centro de detenção clandestino conhecido como "Puerto Vasco", na cidade de La Plata, entre novembro de 1977 e janeiro de 1978.

A filha de Cugura e Casado foi roubada da mãe ao nascer e registrada como Alejandra. Hoje, com 30 anos, reside na província de Santiago del Estero (norte).

Centenas de grávidas, que foram capturas durante o terrorismo de Estado, deram à luz em maternidades clandestinas, antes de desaparecerem, e seus filhos foram arrebatados e entregues a repressores ou cúmplices.

As Avós da Praça de Maio calculam que 500 bebês nasceram em cativeiro.

lt/ls/cn

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG