Avós da Praça de Maio da Argentina são candidatas ao Prêmio Nobel da Paz

A organização humanitária das Avós da Praça de Maio da Argentina foi confirmada, oficialmente, nesta segunda-feira, como candidata ao Prêmio Nobel da Paz 2008, por sua luta para restituir a identidade de cerca de 500 crianças seqüestradas na última ditadura (1976/83), em um ato no Congresso.

AFP |

"Somos mulheres comuns, entre milhares de mulheres argentinas que não abaixam a cabeça diante de situações desesperadoras", afirmou Estela Carlotto, presidente da organização, ao agradecer a nomeação.

Estela, uma das dirigentes humanitárias mais respeitadas do país, disse que as Avós estão muito emocionadas, mas insistiu em que "cada neto recuperado é mais um Prêmio Nobel".

Até hoje, a entidade conseguiu identificar 89 filhos de mulheres detidas que pariram em cativeiro e foram assassinadas logo depois, entre eles a deputada nacional Victoria Donda e o congressista portenho Juan Cabandié, que estiveram presentes no ato.

As Avós da Praça de Maio é uma organização não-governamental, fundada em 1977, que tem o objetivo de localizar e restituir famílias biológicas para os filhos seqüestrados durante o regime militar, no qual desapareceram 30.000 pessoas, de acordo com entidades humanitárias.

A candidatura das Avós foi apresentada em janeiro passado, mas apenas agora o Comitê do Prêmio Nobel norueguês confirmou a aceitação.

O vencedor será divulgado em outubro, e a cerimônia de entrega de prêmios será em 10 de dezembro, data da morte do milionário Alfredo Nobel, na cidade de Oslo.

A academia também entregará um prêmio de cerca de um milhão de euros.

A Argentina já conta com um Prêmio Nobel da Paz, dado para Adolfo Pérez Esquivel, em 1980, por sua luta na defesa dos direitos humanos durante a última ditadura.

jos/cl/tt

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG