Aviões russos bombardearam aeroporto de empresa militar em Tbilisi

(acrescenta novos dados) Tbilisi, 10 ago (EFE).- Aviões russos bombardearam esta madrugada um aeroporto militar da fábrica de aviação, situada na capital georgiana, sem que deixasse vítimas, informaram fontes oficiais.

EFE |

É a primeira vez que a aviação russa ataca Tbilisi.

O porta-voz do Ministério do Interior, Shota Utiashvili, assegurou que nos ataques não foram registradas vítimas, embora o aeroporto tenha sofrido severos danos.

Três bombas foram lançadas sobre a pista do aeroporto da fábrica, que produz os aviões georgianos Skorpion, baseados no caça-bombardeiro soviético Su-25.

Segundo fontes georgianas, nos três dias de combates no céu da Geórgia foram derrubados pelo menos 10 aviões russos.

A aviação também bombardeou esta madrugada o distrito georgiano de Zugdidi, na Geórgia Ocidental, segundo comunicou a emissora Imedi.

Por enquanto se desconhece se há vítimas e os danos que tenha podido ter causado o ataque contra essa região, contígua com a separatista Abkházia, cujas tropas entraram na faixa de segurança, controlada pelos "capacetes azuis" russos e se concentram na fronteira com a Geórgia.

As forças abkazes e russas também prosseguem com os ataques, até o momento infrutíferos, no desfiladeiro de Kodori, zona no norte da Abkházia que se manteve leal à Geórgia.

No principal palco de combates, a Ossétia do Sul, as partes reagrupam suas forças após intensos tiroteios e duelos de artilharia durante a noite na região dos montes de Prisa, que dominam a capital da Ossétia do Sul, Tskhinvali.

Apesar da aparente calma, "a situação continua tensa", disse o canal russo de notícias "Vesti-24" o general Marat Kulajmetov, comandante dos "capacetes azuis" russos na região, e acrescentou que "as partes se preparam" para novos ataques.

Também acrescentou que se conseguiu o acordo de evacuar a população civil, tanto da Ossétia quanto da Geórgia, da zona do conflito, à qual se espera proceder por volta de meio-dia de hoje.

EFE mb-rma/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG