Aviões de guerra turcos atingem supostos alvos curdos no Iraque

Governo turco não detalhou se os ataques nas áreas de Zab e Hakurk provocaram mortes

Reuters |

Aviões de guerra da Turquia realizaram ataques aéreos contra supostos alvos militares curdos no norte do Iraque durante a madrugada, informou o governo turco neste domingo.

Leia também:
- Premiê turco lamenta morte de civis curdos em bombardeio

- Turquia confirma que ataque matou civis curdos, e não rebeldes

Um comunicado curto em seu website relatou que aviões de guerra atacaram as áreas Zab e Hakurk, alvejando esconderijos pertencentes à "organização separatista de terrmor", um termo usado pelo governo para descrever o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK).

O governo não disse se os ataques provocaram mortes. A informação era de que todos os aviões retornaram em segurança às bases após completarem a missão "com sucesso".

A Turquia aumentou as operações aéreas contra supostos rebeldes do PKK no norte do Iraque nos últimos seis meses depois de uma aumento de ataques do grupo sobre forças de segurança turcas.

Os ataques reforçaram as tensões entre a Turquia e a região curda semiautônoma no Iraque e provocaram protestos no norte do Iraque e no sudeste turco, região predominantemente curda.

As relações entre Ancara e o governo central iraquiano em Bagdá também ficaram complicadas nas últimas semanas. A Turquia teme que o Iraque esteja caminhando para uma guerra sectária, enquanto Bagdá acusa Ancara de se intrometer em suas questões.

A nova onda de ataques turcos, que começou em agosto, foi a primeira em mais de um ano contra supostas bases rebeldes do PKK no Iraque e marcam um aumento do conflito que dura quase três décadas.

Mais de 40 mil foram mortos desde que o PKK levantou armas, em 1984, em busca de um governo próprio. O PKK é considerado uma organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia.

O ataque, considerado pelo maior partido turco pró-curdos, o BDP, um "crime contra a humanidade", provocou confrontos entre centenas de manifestantes que jogavam pedras e policiais em Diyarbakir, a maior cidade no sudeste da Turquia.

O incidente ameaça atrapalhar os esforços para um consenso entre turcos e curdos para uma nova constituição, cuja expectativa é resolver parcialmente a questão dos direitos da minoria curda.

O governo disse estar conduzindo uma investigação completa sobre o ataque e o Partido Paz e Democracia (BDP) reportou o incidente ao comitê de direitos humanos das Nações Unidas e ao Tribunal Penal Internacional (TPI) em Haia, para evitar que seja encoberto pelo governo.

    Leia tudo sobre: turquiacurdoscurdistãopkkataque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG