aqui" / aqui" /

Aviões de ajuda humanitária da ONU chegam a Mianmar

Os primeiros aviões da ONU chegaram a Mianmar, nesta quinta-feira, para entregar suprimentos de ajuda a cerca de 1 milhão de pessoas deixadas desabrigadas pelo ciclone Nargis, que devastou o país no último sábado. Para assistir ao vídeo, é necessário ter o programa Real Player. Baixe http://baixaki.ig.com.br/download/RealPlayer.htmaqui

BBC Brasil |

O primeiro avião, que saiu da Itália, levava bolachas de alto valor energético, remédios e outros suprimentos. Um segundo avião, saindo de Bangladesh, também já chegou ao país. Outros dois eram esperados ainda nesta quinta-feira.

Os vôos haviam sido atrasados porque a junta militar que governa o país se mostrava relutante em aceitar ajuda.

O embaixador americano na Tailândia, Eric John, disse que os Estados Unidos ainda estão à espera da autorização do governo de Mianmar para enviar um avião com suprimentos.

John disse que os Estados Unidos e a Tailândia tinham entendido, antes, que teriam sido autorizados a proceder com o envio, mas ainda não está certo se o governo militar de Mianmar voltou atrás ou se houve um mal-entendido.

A confusão se segue à intensa pressão da comunidade internacional para que a junta militar que governa o país facilite o envio de ajuda emergencial.

A ONU disse que quatro integrantes de um grupo de avaliação já receberam permissão para viajar ao país, mas que um quinto membro da equipe ainda aguarda o visto.

A porta-voz da ONU, Elizabeth Byrs, disse que a decisão "mostra uma certa abertura, mas muito lenta".

Mianmar estimou o número de mortos na tragédia em 22.980, mas há temores de que o número possa subir para mais de 100 mil.

Suspeita

O correspondente da BBC em Bangcoc, Jonathan Head, diz que os militares podem estar hesitando em aceitar a ajuda americana porque sempre suspeitaram de qualquer tentativa de interferência externa - e, há muito tempo, os Estados Unidos vêm pedindo o fim do regime militar no país.

Se Mianmar permitir que a ajuda de outros países chegue rapidamente, o país poderá receber uma das maiores operações de ajuda realizadas recentemente, de acordo com Head.

Enquanto aviões originários de países ocidentais têm tido dificuldades para entrar em Mianmar, a ajuda de vizinhos, como Índia e Tailândia, foi aceita pelo governo birmanês.

A Associação nas Nações do Sudeste Asiático (Asean, na sigla em inglês) disse estar tentando comunicar à junta militar a necessidade de agir com urgência.

A China, um aliado de Mianmar, fez um apelo para que o país trabalhe com a comunidade internacional. Um porta-voz do Ministério do Exterior chinês disse que o país vai aumentar sua ajuda para US$ 5,3 milhões.

Destruição

O ciclone Nargis atingiu principalmente a região de Irrawaddy.
O correspondente da BBC, Paul Danahar, que está no sul do país, disse ter visto imagens terríveis de destruição, com sobreviventes procurando desesperadamente por abrigo.

Normalmente, depois de um desastre natural, as estradas estão congestionadas por veículos que tentam levar ajuda aos sobreviventes, mas Danahar diz que em Irrawaddy elas estão vazias.

Na principal cidade do país, Yangun, há alguma tentativa de recuperação, mas falta eletricidade e combustível, e apenas alguns poucos caminhões com suprimentos podem ser vistos.

Uma moradora da cidade de Labutta disse à BBC que 14 vilarejos foram destruídos pelas ondas da tempestade. "Em algumas áreas, é possível ver corpos, famílias inteiras de seis pessoas, animais mortos, em decomposição, e ninguém está fazendo nada para retirar esses corpos", descreveu a moradora.

Leia mais sobre: Mianmar

    Leia tudo sobre: mianmar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG