Aviões americanos buscam barcos com drogas no Pacífico

O governo dos Estados Unidos está usando aviões-radares, do porto equatoriano de Manta, para procurar embarcações e minissubmarinos que transportam drogas pelo Pacífico, em operações que permitiram apreender, desde 2000, 1.617 toneladas de cocaína na região.

AFP |

Apoiando-se em um acordo de cooperação de dez anos, firmado em novembro de 1999, Washington investiu US$ 71 milhões para construir um "Posto de Operações Avançadas" (FOL, sigla em inglês), na base da Força Aérea Equatoriana (FAE), em Manta.

Esse projeto permitiu ampliar a pista do aeroporto local, também usado para operações comerciais. Segundo o governo equatoriano, depois que as tropas americanas saírem, em 2009, a concessão do aeroporto ficará com a China.

O "camp" inclui uma plataforma com capacidade para oito aviões desarmados dos Estados Unidos: quatro grandes, como E-3 AWACS e KC-135 Tanker, e quatro médios, como P-3B, E-2 e HC-130, de acordo com seu comandante, coronel Pat Curtis.

Os aparelhos fazem operações permanentes para rastrear uma área de até 6.400 km sobre o Pacífico, do Peru até a América Central, incluindo as ilhas Galápagos.

"O desafio é encontrar pequenas embarcações pesqueiras, botes e minissubmarinos construídos na Colômbia, que podem custar cerca de 2 milhões de dólares e podem transportar mais de 10 toneladas de cocaína da América do Sul até a Califórnia", acrescentou o coronel Curtis.

Os EUA contam ainda com outros postos avançados, em El Salvador e Curaçao, gerando um estratégico triângulo antidrogas que já levou à apreensão de 1.617 toneladas de coca na região desde 2000, incluindo 178 toneladas (avaliadas em US$ 3,56 bilhões), entre janeiro e outubro de 2008.

O general Curtis explicou que as instalações do FOL serão entregues à FAE em 2009, depois que o governo do Equador informou que não renovará o acordo de cooperação com os Estados Unidos.

SP/tt/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG