Avião pode ter se desintegrado no ar, diz ministro chileno

Descoberta de restos humanos dispersos na área de busca dão indícios de que aeronave não chegou inteira ao mar

iG São Paulo |

O ministro chileno de Defesa, Andrés Allamand, informou neste domingo a descoberta de restos humanos dispersos na área de busca e disse que é "muito provável" que o avião que caiu no mar na sexta-feira passada com 21 pessoas a bordo tenha se desintegrado com o impacto.

Se essa informação for confirmada, "a tarefa de busca será muito mais difícil", disse aos jornalistas Allamand, que está no arquipélago Juan Fernández, a 670 quilômetros do litoral chileno, liderando as tarefas de busca.

Reuters
Membros da Marinha chilena transportam o trem de pouso de avião que caiu no arquipélago de Juan Fernández

Cerca de 600 soldados da Marinha, da Força Aérea (FACH) e o Exército do Chile retomaram neste domingo as buscas pelo avião militar que caiu no mar na última sexta-feira no arquipélago de Juan Fernández, com 21 pessoas a bordo. "Não temos datas e nem estamos fixando metas", afirmou o contra-almirante Cristián de la Maza.

A operação de busca inclui vários navios da marinha, aviões e embarcações menores, assim como mergulhadores e outros especialistas, e está concentrada no sul da Ilha Robinson Crusoé, nas imediações da baía Villagra, área que no sábado foram localizados e resgatados os corpos de quatro passageiros do avião, um Casa C-212 da Força Aérea do Chile.

Leia também especial sobre os piores desastres aéreos no mundo

Nessa mesma região durante a manhã deste domingo foram encontradas partes da aeronave, entre elas um assento e uma porta. A estimativa é que a fuselagem do avião esteja a uma profundidade entre 30 metros e 50 metros, onde poderiam estar os corpos de outras vítimas do acidente.

AFP
Apresentador Felipe Camiroaga estava no voo (Foto: fev/2010)
No avião viajavam Felipe Camiroaga, um dos mais conhecidos apresentadores da televisão chilena, e o empresário e filantropo Felipe Cubillos, cunhado do ministro Allamand.

Após o terremoto de fevereiro de 2010, Cubillos incentivou a criação de uma ONG de apoio a reconstrução e preocupou especialmente com o arquipélago de Juan Fernández, que foi duramente castigado pelo tsunami que seguiu o terremoto.

Viajavam no mesmo voo uma equipe da rede estatal de TV "TVN", na qual trabalhava Camiroaga, integrantes da ONG, assim como funcionários do Conselho de Cultura e militares da FACH.

Os corpos das quatro vítimas já resgatados foram transferidos no sábado para Santiago e entregues no sábado à noite aos familiares. Trata-se de Roberto Bruce, jornalista da "TVN"; Erwin Núñez, militar da FACH, Galia Díaz, funcionária do Conselho Nacional da Cultura e Sylvia Slier, jornalista e produtora da "TVN". Centenas de pessoas passaram a noite, com velas acesas, em frente aos estúdios da "TVN" para homenagear as vítimas, especialmente Felipe Camiroaga, um dos rostos emblemáticos do canal, que conduziu as edições 2009 e 2010 do Festival da Canção de Viña del Mar.

Arte iG
Avião desapareceu perto da ilha Robinson Crusoé, no oceano Pacífico

* com informações da EFE

    Leia tudo sobre: Chilequeda de avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG