Avião pequeno atinge prédio no Texas

Por Pat Jackson AUSTIN (Reuters) - Um homem aparentemente perturbado bateu com um avião monomotor em um edifício da Receita Federal dos Estados Unidos nesta quinta-feira em Austin, no Texas, e autoridades suspeitam que o incidente tenha sido proposital.

Reuters |

Duas pessoas foram hospitalizadas depois do choque, que deixou em chamas o edifício de sete andares onde funciona o Serviço de Arrecadação Interna (IRS, espécie de Receita Federal), segundo os bombeiros. O piloto, identificado por uma fonte policial como sendo Joseph Andrew Stack, foi achado morto.

O incidente desperta novos temores sobre o terrorismo doméstico e sobre falhas na segurança relativa a aviões particulares. Autoridades disseram, no entanto, que em princípio não há razão para se falar em terrorismo.

Dois agentes federais afirmaram que o piloto pode ter atirado o avião deliberadamente contra o prédio, pois tinha pendências com o IRS, reveladas em um confuso recado publicado em um site na Internet.

"Bom, senhor Grande Irmão homem do IRS, vamos tentar algo diferente; tire a minha libra de carne e durma bem", disse o recado datado de 18 de fevereiro. Não foi possível determinar a autenticidade da nota.

Nesse texto, Stack queixava-se de ter sido apanhado pelas leis tributárias por não ter apresentado declaração de imposto após um ano sem renda. Dizia também que havia tido problemas em resolver rendimentos não documentados.

O chefe de polícia de Austin, Art Acevedo, não quis comentar detalhes sobre a nota, mas salientou que o caso não representa uma ameaça à segurança pública. "Este é um incidente isolado aqui. Não há razão para alarme", disse ele a jornalistas.

A CNN informou que o piloto ateou fogo à sua casa antes de decolar com o avião e atirá-lo contra o edifício, por volta de 10h (14h em Brasília). Uma fonte policial disse que as autoridades estão investigando essa versão.

A Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês) identificou o avião como sendo um monomotor Piper Cherokee, que teria decolado do aeroporto de Georgetown, no Texas, e voava sob regras que não exigiam contato do piloto com controladores de tráfego aéreo.

O órgão disse que há um Piper registrado em nome de Joseph Stack sob um endereço da cidade de Lincoln, na Califórnia. No recado pela internet, Stack dizia que havia se mudado da Califórnia para Austin.

O prédio atingido abrigava vários departamentos do IRS, inclusive as divisões de investigações criminais, auditoria e coleta de impostos, segundo funcionários. Cerca de 190 pessoas trabalhavam no edifício, que fica perto de um prédio do FBI.

Em Washington, o porta-voz da Casa Branca, Robert Gibbs, disse que "não parece" se tratar de terrorismo, mas que o presidente Barack Obama foi avisado.

Depois da colisão, dois caças F-16 foram mobilizados para patrulhar a capital texana, segundo o Comando de Defesa Espacial Norte-Americana (Norad), responsável por supervisionar o espaço aéreo norte-americano.

A colisão de um avião contra um prédio reaviva o trauma do 11 de setembro de 2001, quando dois aviões sequestrados foram atirados contra o World Trade Center (Nova York), um outro foi jogado no Pentágono e um quarto caiu quando seus passageiros se rebelaram contra os sequestradores.

(Reportagem adicional de Chris Baltimore, Erwin Seba e Jim Forsyth, no Texas, Jeremy Pelofsky, John Crawley, James Vicini e Jeff Mason, em Washington, e de Peter Henderson, em San Francisco)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG