Avião militar cai no Equador; falha no resgate deixa 4 mortos

Um avião de combate da Força Aérea Equatoriana caiu na quarta-feira numa área amazônica próxima à fronteira com a Colômbia e os dois pilotos se ejetaram, embora um deles tenha morrido, junto com três outras pessoas, durante as atividades de resgate.

Reuters |

A Aeronáutica rejeitou a hipótese de um ataque contra o avião e atribuiu a queda a uma falha mecânica. O aparelho Strikemaster MK-89 realizava uma missão de treinamento junto com outras duas aeronaves.

Um porta-voz militar disse que os pilotos se comunicaram por rádio para informar sua localização, próxima ao local onde treinavam, na região de Lago Agrio, província amazônica de Sucumbíos, cerca de 200 quilômetros a leste de Quito.

Durante as tarefas de salvamento, um cabo que resgataria os pilotos para um helicóptero se rompeu, matando dois militares, um membro da equipe de resgate e um dos pilotos acidentados.

A Força Aérea anunciou a formação de uma comissão para investigar o incidente.

A fronteira Equador-Colômbia é cenário de frequentes ações antidrogas e serve de refúgio para guerrilheiros colombianos, o que gera tensão entre os dois países, que romperam relações há um ano devido a uma incursão militar colombiana contra rebeldes em território equatoriano.

"Descarta-se um ataque, nada disso, deve ter havido alguma disfunção mecânica", disse à Reuters o comandante da chamada Força-Tarefa Conjunta, Fabián Narváez, ressalvando que desconhecia as causas do acidente.

É o segundo acidente com um avião militar equatoriano em poucos dias. Na semana passada, um deles se chocou contra dois edifícios perto do aeroporto de Quito, matando sete pessoas, sendo quatro civis.

As Forças Armadas estão reformulando sua antiquada frota usada nos voos de vigilância, especialmente nos cerca de 600 quilômetros fronteira com a Colômbia.

    Leia tudo sobre: equador

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG