A Air France anunciou nesta segunda-feira que 58 brasileiros estavam entre os 216 passageiros do voo que desapareceu quando viajava do Rio de Janeiro para Paris durante a madrugada. A lista divulgada pela companhia aérea em Paris diz que a maioria dos passageiros (61) era formada por franceses.

O voo levava ainda passageiros de outras 30 nacionalidades - incluindo 26 alemães, nove chineses, nove italianos e cinco britânicos.

Pouco antes, o gerente da Air France no aeroporto Tom Jobim, Antonio Jorge Assunção, havia afirmado que uma lista prévia indicava que 80 brasileiros estavam entre os passageiros da aeronave.

Já a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) apresenta númerosdiferentes e diz que o avião da Air France levava 52 brasileiros - 51passageiros e um tripulante.

De acordo com o cônsul-geral da França no Rio, Hugues Goisbault, a companhia aérea identificou muitos casos de dupla nacionalidade entre os passageiros, o que dificultou a consolidação da lista.

Goisbault afirmou que o desaparecimento da aeronave é "o pior acidente" dos 70 anos de história da Air France. O cônsul acrescentou ainda que os governos de Brasil e França estão trabalhando em conjunto nas buscas pelo avião.

Turbulência
O voo AF 447 tinha a bordo 126 homens, 82 mulheres, sete crianças e um bebê, além de 12 tripulantes, franceses e brasileiros.

De acordo com a Air France, o piloto da aeronave possuía 11 mil horas de voo, sendo 1,7 mil horas somente no Airbus A330-200.

A aeronave começou a operar em 18 de abril de 2005, e a última manutenção em hangar foi realizada no dia 16 de abril.

O avião partiu do Rio às 19h03 de domingo e deveria chegar a Paris nesta segunda-feira, às 11h10 (6h10, hora de Brasília).

A Air France afirmou, por meio de um comunicado, que o avião "cruzou uma zona com forte turbulência" por volta das 23h (hora de Brasília) e enviou uma mensagem automática às 23h14 que informava a ocorrência de um curto-circuito.

A empresa levantou a hipótese de que a aeronave tenha sido atingida por um raio quando entrava em uma zona com fortes tempestades e turbulências, que teriam provocado as falhas elétricas.

O Comando da Aeronáutica lançou uma busca pela aeronave e utiliza a ilha de Fernando de Noronha como base para as operações.

Aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) foram enviados à região para ajudar nas buscas e no salvamento. Além disso, navios da Marinha também participam dos trabalhos. As embarcações saíram das cidades de Natal, Maceió e Salvador e já estão a caminho de Fernando de Noronha.

Um avião militar francês também partiu do Senegal, na costa ocidental da África, para participar da busca.

O presidente da França, Nicholas Sarkozy, expressou "grande preocupação" com o desaparecimento do avião da Air France, de acordo com nota do Palácio do Eliseu divulgada por emissoras de rádio francesas.

Durante a tarde, Sarkozy visitou o aeroporto Charles De Gaulle, onde o avião deveria ter aterrissado há horas, e se encontrou com as famílias de passageiros que estavam no local à espera de mais informações.

A Air France informou que foram instalados centros de informações para atender aos familiares e amigos de pessoas que estavam no Airbus 330-200 em uma área reservada do Aeroporto Charles De Gaulle, e no Salão Nobre do Aeroporto Internacional do Galeão.

A companhia divulgou ainda os seguintes números gratuitos para fornecer informações:
Para todo o Brasil: 0800 881 2020
Para a França: 0800 800 812
Para outros países: + 33 1 57 02 1055

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.