Dois traficantes de drogas morreram nesta sexta-feira, na queda de seu pequeno avião em Luciana (Castela La Mancha, centro), na fazenda de Emilio Botín, presidente do maior banco espanhol, o Santander, informou a subdelegação do governo em Ciudad Real.

Uma terceira pessoa foi detida pela Guarda Civil, quando esperava o avião. Entre os destroços, havia "nove trouxas de haxixe, cujo peso total ainda deve ser determinado", acrescentou a mesma fonte.

O acidente pode ter acontecido, quando os traficantes tentavam usar, sem autorização, o aeródromo do banqueiro.

Os falecidos, cujas identidades não foram divulgadas, são um marroquino, que pilotava o aparelho, e seu co-piloto, um espanhol. O detido também é de nacionalidade espanhola.

Uma porta-voz do Banco Santander se apressou em garantir que as vítimas não tinham qualquer relação com a família do presidente da instituição.

"Não há ninguém da família afetado, não tem nada a ver com a família Botín", declarou, acrescentando que Emilio Botín estava, hoje, em Barcelona (Catalunha, nordeste).

Ainda de acordo com a porta-voz, o avião parece ter tentado usar o aeródromo sem permissão.

A propriedade de Botín mede 11.000 hectares e é voltada, principalmente, para caça e agricultura, segundo fontes municipais de Luciana.

A alfândega espanhola anunciou nesta sexta ter apreendido 19 toneladas de maconha nos últimos três dias no país. Desde o início de 2008, foram apreendidas cerca de 90 toneladas dessa droga, três vezes mais do que no mesmo período do ano passado.

gr/tt/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.