Avião cai em cima de uma casa nos EUA; 49 pessoas morrem no acidente

Nova York, 13 fev (EFE).- Um avião da Continental Airlines caiu hoje por causas ainda desconhecidas em cima de uma casa nos arredores do aeroporto internacional de Buffalo, no Estado de Nova York, em um acidente no qual morreram seus 48 ocupantes e um morador e que provocou um grande incêndio.

EFE |

O avião caiu no telhado de uma casa e depois explodiu, originando um incêndio que ainda afeta várias casas da cidade de Clarence, disse o responsável pelos serviços de emergências, David Bisonnette.

Só se pode ver a cauda do avião, um Bombardier Dash 8 Q400, bimotor e fabricado no Canadá, explicou Bisonnette, que também confirmou que duas pessoas com ferimentos menores e que não eram passageiros do voo foram levadas para um hospital.

O voo 3407 da Continental, operado pela Colgan Air, tinha decolado às 21h20 de ontem (0h20 de hoje de Brasília) do aeroporto de Newark (Nova Jersey) e ia para Buffalo, mas aproximadamente uma hora após sua saída perdeu a comunicação com a torre de controle do aeroporto de onde procedia.

Bisonnette explicou que os serviços de emergência delimitaram um perímetro de segurança que abrange duas quadras de casas e não está sendo permitido o acesso a ninguém, exceto a uma restrita equipe de segurança.

"Não queremos ninguém se aproximando do local da investigação", advertiu à imprensa, ao mesmo tempo em que disse que as fortes chamas originadas após o acidente podiam ter sido causadas porque o aparelho levava 2,27 toneladas de combustível em seus tanques.

"Faz ainda muito calor para se aproximar da área. O avião já estava chegando ao aeroporto para aterrissar, mas perdeu o contato com o radar e a torre de controle", explicou.

Um responsável do condado, Chris Collins, informou que a casa contra a qual o avião colidiu, ficou totalmente destruída. Outras casas também foram afetadas ao redor e Collins advertiu do perigo já que ainda resta combustível no avião.

"O FBI (Polícia federal americana) também participa da investigação, além dos serviços de emergência e as autoridades locais e estaduais", explicou a agente Laurie Bennet.

"Vamos começar a entrevistar algumas pessoas que poderiam ter visto o que aconteceu", disse Bennett.

As redes de televisão locais mostram de Clarence as imagens do incêndio em uma zona residencial, com chamas de vários metros de altura.

Vários moradores disseram que tinham sentido algo similar a um pequeno terremoto após a colisão, enquanto outras testemunhas, entrevistadas por meios de imprensa locais, asseguraram que viram que o avião voava baixo e que sua asa esquerda estava um pouco desnivelada.

A página de internet "liveatc.net", que emitiu as conversas do controle de tráfego aéreo, divulgou uma comunicação de rádio entre um dos pilotos da aeronave acidentada e a torre de controle de Búfalo.

Nela não se vê preocupação alguma pela situação do voo, mas sim se lhe pede à piloto que voe a uma altura de 2.300 pés (700 metros).

Um minuto depois dessa comunicação, o controlador de Buffalo tenta falar de novo com ela, mas já não obtém resposta, por isso que volta a tentar a conexão.

Ao não consegui-lo, o controlador pede ao piloto de um avião da Delta que estava perto para olhar "a umas 5 milhas a sua direita por um Dash 8 que voava a 2.300 pés e lhe pergunta se vê alguma coisa lá.

A resposta do piloto de Delta é: "Negativo", segundo a conversa emitida através da internet.

Um piloto, John Lucich, consultado pela rede de televisão "CNN" disse que as conversas trocadas entre a torre de controle e o avião seguiam o procedimento convencional e que o Dash "é um aparelho sofisticado", preparado para condições climatológicas adversas.

Na região estão sendo registradas baixas temperaturas, com chuva e fortes ventos que poderiam ter influenciado no acidente cujas causas ainda não foram esclarecidas pelas autoridades. EFE emm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG