Avião cai em Amsterdã e deixa 9 mortos e mais de 80 feridos

Amsterdã, 25 fev (EFE).- Nove pessoas morreram e mais de 80 ficaram feridas após a queda de um Boeing 737 da Turkish Airlines, quando tentava aterrissar no aeroporto de Schiphol, em Amsterdã, anunciaram as autoridades holandesas.

EFE |

Um porta-voz do Serviço de Saúde holandês afirmou que os feridos foram internados em 11 hospitais e que 24 apresentam lesões leves e em outros 21 casos ainda deve se constatar os danos que sofreram.

O avião, que transportava 135 pessoas - 128 passageiros e sete tripulantes - caiu em um campo agrícola nas imediações do aeroporto de Amsterdã durante a manobra de aterrissagem e se dividiu em três partes.

Um porta-voz do Ministério Fiscal confirmou em entrevista coletiva que os corpos sem vida de três membros da tripulação ainda estão no avião e que ainda não foram retirados "para favorecer a investigação" para esclarecer os fatos.

Os investigadores recuperaram também uma das duas caixas-pretas do aparelho, que tem dados técnicos do voo, declarou Pieter van Vollenhoven, presidente do Conselho de Pesquisas sobre Segurança.

O prefeito em exercício da localidade de Haarlemmermeer, Michel Bezuijen, afirmou que ainda não há mais informação sobre as causas da queda, entre outras razões porque "se deu prioridade à ajuda às vítimas".

Também disse que se "está estudando a lista de passageiros para determinar entre outras coisas a nacionalidade" dos mesmos.

O acidente aconteceu às 6h30 (horário de Brasília), enquanto a aeronave se aproximava da pista de aterrissagem do aeroporto internacional de Schiphol, que permaneceu fechado durante algum tempo e reabriu pouco depois de forma limitada, explicou Bezuijen.

Várias testemunhas disseram que o bico do aparelho perdeu altura de forma repentina e que acabou batendo no solo.

As causas do acidente ainda são desconhecidas, mas a imprensa local afirma que os motores do avião pararam pouco antes da aterrissagem, e com isto o aparelho perdeu velocidade e caiu no campo vizinho à pista.

Uma pessoa que viu a queda do avião de seu carro disse que os passageiros saíram pela parte central do aparelho e começaram a ligar pelo telefone celular.

Outra testemunha declarou que o avião "parecia planar no ar e depois caiu de cabeça".

Cerca de 60 pessoas conseguiram deixar o avião sem auxílio, enquanto alguns feridos tiveram que ser transportados em um trator porque algumas ambulâncias tinham problemas para se deslocarem pelo local da queda.

Um sobrevivente do acidente explicou à rádio holandesa que "tudo ocorreu muito rápido, em dez segundos", e sem que desse tempo à tripulação de dar aviso algum sobre a existência de problemas.

Outro sobrevivente declarou que o avião "descia quando se notou algo como uma turbulência forte e depois a cauda tocar o solo. Havia feridos e pessoas em estado muito ruim".

A Turkish Airlines está transferindo gratuitamente para a Holanda familiares das vítimas do acidente e as autoridades holandesas já anunciaram que não exigirão deles visto para entrar no país.

A Holanda viveu seu pior acidente aéreo em outubro de 1992, quando um Boeing 747 de carga da companhia israelense El-Al bateu pouco depois de decolar de Schipol, nas proximidades de Amsterdã, contra dois edifícios de Bijlmermeer, um bairro periférico da capital holandesa.

Em abril de 1993, um Saab da companhia aérea KLM-Cityhopper caiu nas proximidades do aeroporto de Schiphol, em um acidente que terminou com três mortos e 21 feridos.

No acidente morreram, além dos quatro ocupantes do avião, outras 90 pessoas que moravam nas casas próximas ao aeroporto. EFE mr/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG