Avião bate em prédio de Quito e mata sete pessoas

Um avião Beechcraft do Exército equatoriano bateu nesta quinta-feira em um prédio do norte de Quito, matando três militares e dois civis que viajavam no aparelho e duas pessoas em em terra, informaram as autoridades aeronáuticas. Ao todo, sete pessoas morreram na tragédia.

AFP |

O Beechcraft bateu na parte de trás do prédio residencial do norte de Quito, em meio a uma densa neblina, disse à AFP um porta-voz do ministério da Defesa. 

A aeronave do Exército havia realizado um voo de instrução e era tripulada por um major e dois tenentes. Também viajavam no aparelho a mulher e o filho do major, identificado como Julio Zaldumbide.

AP

As vítimas fatais são os três tripulantes do Beechcraft e dois passageiros civis (uma mulher e o filho de 12 anos), segundo o diretor da Aviação Civil, Fernando Guerrero.

Os civis são a esposa e o filho mais velho do major Julio Zaldumbide, que piloteava a aeronave.

Também morreram dois moradores da área da queda do avião.

O acidente feriu ainda duas pessoas no prédio, segundo testemunhas.

O coronel José Rivadeneira, comandante da polícia de Quito, revelou que que os "trabalhos prosseguem e é possível que haja mais vítimas".

O avião bateu no prédio às 17H20 local (19H20 Brasília), quando se dirigia ao aeroporto militar situado na mesma zona, revelou à AFP o porta-voz da Cruz Vermelha Jhonny Franco.

O acidente deflagrou um incêndio que durou cerca de uma hora.

O Beechcraft 200, que vinha do porto de Manta (sudoeste), raspou a copa de uma árvore antes de bater no prédio, de seis andares, segundo testemunhas.

Na mesma zona já foram registrados quatro acidentes semelhantes nos últimos 20 anos, incluindo o que matou o comandante do Exército, em dezembro de 1992.

Leia mais sobre queda de avião

    Leia tudo sobre: avião

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG