Avião acidentado em Madri teve problemas de decolagem um mês antes

Copenhague, 26 ago (EFE).- O MD-82 da companhia aérea Spanair que se acidentou na quarta-feira passada no aeroporto de Barajas, em Madri, teve problemas técnicos na decolagem semanas antes em um vôo de Palma de Mallorca a Copenhague, informa hoje o jornal dinamarquês Ekstra-Bladet.

EFE |

O piloto do MD-82 acidentado em Barajas - uma tragédia que deixou 154 mortos, incluindo um brasileiro - teve que suspender a decolagem em Palma de Mallorca após detectar vibrações violentas na aeronave, segundo o jornal dinamarquês, que cita de forma indireta testemunhos de um passageiro.

Os técnicos examinaram durante uma hora o MD-82, com código de vôo JK037 e saída prevista de Palma às 7h30 local, e depois o avião recebeu permissão para decolar novamente e realizou sem problemas o vôo à capital dinamarquesa.

O "Ekstra-Bladet" reproduz hoje uma foto do avião decolando do aeroporto de Palma de Mallorca em 26 de julho, tirada por Jan Persson, um dinamarquês que gosta de fotografar aviões e que tinha ido se despedir de uma amiga.

"As vibrações eram tão fortes que alguns passageiros na parte traseira temeram que a porta de emergência voasse pelos ares", afirma Persson ao jornal, referindo-se ao testemunho da amiga, que estava dentro do avião.

Ao saber da notícia do acidente de Barajas, Persson reviu suas fotos e descobriu que era o mesmo avião que tinha fotografado em Palma de Mallorca, relata ao jornal.

O avião que saiu de Palma de Mallorca estava cheio de turistas dinamarqueses que retornavam a seu país após passar férias na localidade espanhola.

Um porta-voz da SAS - proprietária da Spanair - declara ao jornal que a companhia aérea escandinava não tem constância dos problemas sofridos pelo avião em Palma de Mallorca, já que a filial espanhola conta com uma equipe independente para controlar a segurança aérea.

EFE alc/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG