Avaria pára acelerador de partículas por dois meses

O maior acelerador de partículas do mundo ficará paralisado durante dois meses devido a uma avaria, informou neste sábado a Organização Européia de Pesquisa Nuclear (CERN).

AFP |

"Houve um incidente durante um teste. Um elemento da máquina precisa ser reparado", declarou o porta-voz James Gillies à AFP.

Segundo um comunicado da CERN publicado hoje, o problema surgiu por um importante vazamento de hélio ocorrido no túnel na sexta-feira.

As primeiras investigações indicam que o vazamento pode ter sido provocado por um problema de conexão elétrica que fundiu dos ímãs.

Este incidente não tem qualquer consequência para a segurança do pessoal, destacou a CERN.

O acelerador de partículas foi paralisado pela primeira vez logo após sua inauguração, em 10 de setembro, devido a um problema elétrico que afetou o sistema de resfriamento do circuito de 27km, a 100 metros sob a superfície.

O sistema só voltou a funcionar nesta sexta-feira, antes de ser paralisado novamente, e agora por dois longos meses.

O túnel do circuito é mantido a uma temperatura de -271 graus Celsius (dois graus acima do zero absoluto) e será preciso aquecer o local para que os técnicos possam chegar ao ponto onde ocorreu a avaria.

Após o reparo, o sistema será resfriado novamente a -271 graus para permitir a retomada das experiências.

O projeto foi concebido em 1983 e sua construção teve início em 1996, mobilizando milhares de físicos e engenheiros, de todo o planeta.

O Grande Colisor de Hádrons (LHC, na sigla em inglês), cujo objetivo é revelar os segredos da matéria e da origem do universo, tenta basicamente obter colisões de prótons, para chegar a partículas ínfimas, inferidas pela física teórica mas jamais observadas.

afp/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG