Avalanche no K2 mata pelo menos 11 alpinistas

Pelo menos 11 alpinistas morreram depois de uma avalanche no K2, a segunda montanha mais alta do mundo, com 8.611 metros de altitude, localizada no norte do Paquistão, na fronteira com a China.

BBC Brasil |

O número de vítimas é o maior já registrado em um mesmo dia na montanha e ainda pode aumentar, segundo os organizadores da expedição.

O acidente ocorreu na sexta-feira, mas os organizadores da expedição só receberam a notícia no sábado, quando um grupo conseguiu voltar ao acampamento base.

Segundo o alpinista sueco Fredrick Streng, que estava na montanha mas decidiu não fazer o ataque ao cume, 25 integrantes de diferentes expedições chegaram ao topo na sexta-feira, aproveitando as condições climáticas favoráveis.

Congelados

De acordo com Streng, eles se demoraram no topo, e no momento da avalanche estavam exaustos. A avalanche destruiu as cordas utilizadas pelos alpinistas, e um grupo deles ficou preso no topo da montanha sem conseguir descer.

Streng disse à BBC que nove alpinistas moreram congelados depois de passar a noite no topo da montanha, a céu aberto. Outro alpinista morreu ao sofrer uma queda, e um sherpa ao tentar resgatar uma das vítimas.

Equipes de busca foram enviadas para tentar resgatar sobreviventes que ainda estejam presos no topo da montanha.

Segundo o correspondente da BBC em Islamabad Syed Shoaib Hasan, entre os alpinistas estavam coreanos, paquistaneses, nepaleses, um holandês e um italiano, mas ainda não há detalhes exatos sobre o grupo.

De acordo com o correspondente da BBC, as informações no acampamento base são de que duas equipes, da Sérvia e da Noruega, conseguiram descer em segurança, e que um sérvio e um norueguês morreram na avalanche.

"Zona da morte"

A avalanche atingiu o grupo na parte da montanha conhecida como "Gargalo de Garrafa", localizada acima de 8 mil metros de altitude.

Essa altitude é chamada pelos alpinistas de "Zona da Morte", por causa da escassez de oxigênio.

O tempo está bom, mas o Exército paquistanês ainda não tem certeza de que poderá lançar uma operação de resgate em uma altitude tão elevada.

O K2 é considerado por muitos o pico mais difícil do mundo. A taxa de mortalidade para os que se arriscam a subir a montanha é de 27%, três vezes maior do que o índice de fatalidade do Monte Everest, o mais alto do mundo.

Leia mais sobre K2

    Leia tudo sobre: alpinismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG