Autoridades vietnamitas abafam protestos contra a China na passagem da tocha olímpica

As autoridades do Vietnã conseguiram neutralizar nesta terça-feira as manifestações contra o governo chinês anunciadas para a passagem do revezamento da chama olímpica pela Cidade Ho Chi Minh (sul) realizando, segundo os grupos dissidentes, detenções preventivas de ativistas horas antes do evento.

AFP |

Os últimos revezadores, dos 60 que participaram da cerimônia que terminou às 20h00 (10h00 de Brasília), percorreram os últimos metros no interior de um centro esportivo coberto próximo a um aeroporto militar, segundo testemunhas.

Centenas de policiais foram mobilizados tanto na Cidade Ho Chi Minh como na capital Hanói para evitar protestos e manifestações contra o regime de Pequim como os que ocorreram em Londres e Paris.

Grande parte do êxito se deveu de fato à detenção nesta terça-feira em Hanói de vários militantes que haviam chegado ao país convocados por grupos ativistas para realizar manifestações contra a China.

O grupo pró-democrático Viet Tan, com sede nos Estados Unidos e considerado terrorista pelas autoridades de Hanói, denunciou a prisão de dezenas de militantes na capital vietnamita.

A Polícia vietnamita não confirmou as detenções.

No entanto, um jornalista da AFP presenciou um incidente em um mercado de Hanói: dois manifestantes foram detidos por mostrar um cartaz negro com os anéis olímpicos em forma de algemas.

O revezamento começou às 18h30 (08h30 de Brasília), acompanhado por centenas de vietnamitas que agitavam bandeiras da vizinha China.

O fogo olímpico chegou à antiga Saigon na segunda-feira à tarde procedente de Pyongyang. Na quarta-feira partirá para Hong Kong e Macau, as duas últimas etapas antes do início do périplo da tocha pela China.

O chefe da Polícia de Hong Kong, David Ng, descartou nesta terça-feira a intenção de prender possíveis manifestantes que exibam bandeiras tibetanas durante o revezamento da tocha.

"Saudamos os protestos livres, mas realmente tudo depende das circunstâncias", afirmou, pedindo a "todos que não realizem atos provocadores nesse dia".

bur-aud/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG