Autoridades da Arábia Saudita se recusaram a casar três meninas de 13 anos de idade, em meio a pressões de grupos de defesa dos direitos civis contra o casamento infantil, informou o jornal Al-Watan neste sábado.

Na semana passada, autoridades matrimoniais informaram às famílias das três meninas que elas era muito jovens para se casar, citando uma recente decisão do chefe da corte regional de Dammam, Sheikh Abdulrahman al-Raqib, indicou o Al-Watan.

Quando o pai de uma delas solicitou a permissão de Raqib, foi orientado a esperar até que sua filha completasse 15 anos.

A Arábia Saudita não tem nenhuma lei que estabeleça uma idade mínima para o casamento, tanto para mulheres como para homens, o que proporciona às famílias a possibilidade de casar suas filhas o mais cedo possível - algumas, com apenas 10 anos.

Ativistas dos direitos humanos sauditas defendem a aprovação de uma lei que impeça o casamento infantil e estabeleça a idade mínima de 18 anos para os dois sexos. A campanha, no entanto, enfrenta forte oposição dos poderosos setores religiosos do país.

str/pmh/ap

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.