Autoridades retomam controle de academia de polícia no Paquistão

LAHORE - As forças de segurança do Paquistão informaram que retomaram o controle de uma academia de polícia perto de Lahore, no leste do Paquistão, que tinha sido invadida por atiradores. Imagens de televisão mostraram paramilitares comemorando no telhado do complexo que tinha sido cercado havia oito horas.

BBC Brasil |


AP

Policiais paquistaneses reagem à invasão de atiradores

Um correspondente da BBC que conseguiu entrar na academia de polícia afirmou que equipes de resgate usando máscaras levaram corpos para fora, envoltos em lençóis brancos.

Uma autoridade do Ministério do Interior afirmou que quatro militantes foram mortos e outros três foram presos. Ele acrescentou que o número de mortos no ataque ainda está sendo verificado.

Informações preliminares chegaram a falar em um total de 40 mortos, mas o número parece estar sendo revisto para baixo.

Dezenas de pessoas estavam sendo mantidas como reféns no prédio da academia de polícia. Autoridades anunciaram que o cerco ao complexo terminou depois de uma troca de tiros pesada que durou entre 10 e 15 minutos.

Há pouco menos de um mês, outro grupo de homens armados abriu fogo contra o ônibus que transportava a seleção de críquete do Sri Lanka, também em Lahore, matando seis policiais e o motorista do veículo.

Pelo menos 14 dos atiradores conseguiram fugir na ocasião.

Cidades maiores

A crescente violência de grupos militantes no Paquistão se concentra no noroeste do país, perto da fronteira com o Afeganistão. Mas os insurgentes aumentaram os ataques contra as cidades maiores nos últimos meses.

O centro de treinamento da polícia de Manawan, atacado nesta segunda-feira, fica nos arredores de Lahore, em uma estrada para a fronteira com a Índia.

Autoridades e testemunhas informaram que os atiradores atacaram o complexo no momento em que os policiais em treinamento faziam os exercícios da manhã no pátio do centro. Centenas de pessoas estariam no complexo no momento da invasão.

Os atiradores atacaram de quatro lados atirando granadas antes de abrirem fogo, segundo testemunhas.

Alguns dos atiradores estavam usando uniformes da polícia.

Helicópteros

Soldados de tropas de elite foram convocados para retomar o complexo. A correspondente da BBC em Lahore Jill McGivering afirmou que helicópteros militares voavam baixo, disparando diretamente contra o centro de treinamento.

As forças paramilitares tentavam invadir o prédio principal do complexo, mas os atiradores reagiam atirando granadas.

As cenas durante o combate foram caóticas, as estradas em volta do centro de treinamento ficaram congestionadas com veículos e pessoas, segundo a correspondente.

No final do cerco, as ambulâncias e um helicóptero do Exército conseguiram entrar no complexo para tentar chegar aos feridos.

Há informações de que pelo menos dois militantes explodiram dispositivos que estavam usando no momento do cerco.

Rehman Malik, do Ministério do Interior, afirmou que o incidente foi um "ataque terrorista planejado e organizado".

"Isto mostra até onde os inimigos do nosso país podem ir", disse Malik ao canal de televisão local Geo TV. "É errado afirmar que a lei e ordem entraram em colapso no Paquistão. Estamos perto de encontrar os envolvidos nisto", acrescentou.


Leia mais sobre: Paquistão

    Leia tudo sobre: paquistão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG