Assunção, 14 mai (EFE) - As autoridades antidrogas do Paraguai destruíram 512 hectares de plantações de maconha na fronteira com o Brasil, durante uma operação de 12 dias no nordeste do país, conforme informaram hoje fontes oficiais em comunicado.

A área destruída no departamento de Amambay, na fronteira com o Mato Grosso do Sul, equivalem a cerca de 1.500 toneladas da droga que, segundo a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), depois de prensada é comercializada em países vizinhos.

Em comunicado, o organismo afirma que na operação participaram 70 agentes da Senad com o apoio de dois helicópteros.

Além da destruição das plantações, os agentes acabaram com 616 quilos de sementes, 90 acampamentos e 31 prensas usadas para compactar a droga.

Segundo as autoridades, as organizações que financiam o cultivo da maconha tiveram perdas estimadas em US$ 16 milhões.

"Ao longo do ano, a Senad conseguiu superar o recorde de 2007 em matéria de combate ao narcotráfico em zonas de produção da droga, chegando até o momento a um total de 1.610 hectares de maconha destruídas em vários departamentos do país", diz o comunicado. EFE lb/rr/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.