Autoridades mexicanas encontram corpo de jornalista sequestrado em dezembro

México, 16 jan (EFE).- O corpo de um jornalista que tinha sido sequestrado no dia 30 de dezembro na cidade mexicana de Los Mochis foi encontrado nesta madrugada junto a uma estrada, informou hoje a Procuradoria-Geral de Justiça do estado de Sinaloa (PGJE, procuradoria local), no noroeste do México.

EFE |

Fontes da PGJE disseram à Agência Efe que o corpo do jornalista José Luis Romero, especializado em segurança e ordem pública e que trabalhava para a rádio "Línea Directa", apresentava avançado estado de decomposição e estava abandonado há pelo menos 15 dias.

O jornalista, que tinha 40 anos, foi raptado no final de dezembro em um restaurante de Los Mochis.

O cadáver foi descoberto por agentes da Procuradoria local depois que as autoridades encontraram na sexta-feira uma cartolina que indicava o suposto paradeiro de Romero.

Segundo o relatório do legista, o jornalista foi assassinado a tiros provavelmente um dia depois de ter sido sequestrado por um grupo de desconhecidos.

"A família, companheiros de trabalho e colegas se uniram à exigência de que esse crime seja esclarecido e os responsáveis sejam punidos", diz uma nota postada no site da rádio "Línea Directa".

Desde o ano 2000, sem incluir o homicídio de Romero, a Comissão Nacional dos Direitos Humanos do México registrou 58 assassinatos e nove desaparecimentos de jornalistas, além de sete atentados com explosivos contra instalações de veículos de comunicação. EFE jd/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG