Autoridades japonesas alertam para risco de novos tremores de terra

Tóquio - As autoridades o Japão disseram hoje que existe a possibilidade de novos tremores de baixa intensidade no leste do país, que sofreu nas últimas horas três sismos entre 5,1 e 5,3 graus na escala Richter, além de numerosas réplicas.

EFE |

O último terremoto, de 5,3 graus, aconteceu hoje às 8h45 hora local (21h45 de quinta-feira, no horário de Brasília) na península de Izu, cerca de 120 quilômetros a sudoeste de Tóquio, e provocou danos em vários edifícios e ferimentos em duas pessoas, informou a agência "Kyodo".

Os serviços do trem bala (Shinkansen) foram suspensos brevemente na zona e foram retomados poucos minutos após a comprovação de que as vias não tinham sofrido danos.

Nove horas antes, às 23h45 hora local na quinta-feira (12h45 de Brasília), outro terremoto de mesma intensidade sacudiu a península sem causar danos materiais ou vítimas.

O epicentro de ambos os tremores estava muito perto do litoral da cidade de Ito, a cerca de cinco quilômetros de profundeza, embora não tenha sido emitido alerta de tsunami, segundo a Agência Meteorológica japonesa.

Além disso, por volta das 05h45 hora local (18h45 de quinta-feira em Brasília) um terremoto de 5,1 graus na escala Richter sacudiu o centro do Japão e a cidade de Tóquio, também sem danos.

O epicentro estava no sul da província de Tochigi, cerca de 70 quilômetros ao norte de Tóquio, a uma profundeza de 80 quilômetros sob a superfície terrestre.

Desde a noite passada e até as 9h pelo horário local foram detectados mais de 80 réplicas de distintas intensidades na península de Izu, segundo a Agência Meteorológica do Japão, que advertiu que os tremores continuarão nos próximos dias e recomendou à população que esteja atenta.

A península foi palco de atividade sísmica em várias ocasiões, com terremotos de mais de 5 graus na escala Richter em 1989, 1997, 1998 e 2006.

    Leia tudo sobre: japãoterremoto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG