Autoridades iranianas afastam juiz e 12 policiais por abusos a presos

Teerã - As autoridades iranianas destituíram um juiz e afastaram pelo menos 12 policiais por sua ligação com os abusos cometidos no centro de detenção em Kahrizak, situado no sul de Teerã, informou hoje a agência de notícias Mehr.

EFE |

Os 13 homens enfrentam ações legais, explicou a fonte, que cita o deputado Parviz Sarvari, membro da comissão especial que investiga os supostos abusos sexuais contra pessoas detidas nos protestos que começaram após a reeleição do presidente, Mahmoud Ahmadinejad, em 12 de junho.

Sarvari explicou que a comissão, após ter se reunido com presos que foram libertados, responsáveis do centro de detenção e juízes, decidiu afastar de suas funções quase todos os que trabalhavam na penitenciária.

"O comitê especial oferecerá nos próximos dias um relatório das investigações aos jornalistas", afirmou Sarvari, segundo a fonte.

Logo após o anúncio do resultado eleitoral, que a oposição não aceita e considera fraudulento, milhares de pessoas saíram às ruas do Irã em protesto.

Cerca de 30 pessoas morreram nos atos -segundo números oficiais- e quatro mil foram detidas.

A prisão foi fechada no final de julho por ordem do líder supremo da Revolução, aiatolá Ali Khamenei, depois que vieram à tona rumores sobre maus-tratos e violação de direitos dos prisioneiros.

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG