Autoridades investigam existência de dispositivo de gás na casa dos Fritzl

Viena, 1 mai (EFE).- As autoridades austríacas investigam se Josef Fritzl construiu um sistema de liberação de gás para matar, caso considerasse necessário, sua filha Elisabeth e três dos sete filhos que teve com ela e que mantinha presos no porão de sua casa na cidade de Amstetten, na Áustria.

EFE |

Clique na imagem e veja o infográfico sobre o crime (AFP)

Segundo o porta-voz da Polícia local, Helmut Greiner, Fritzl teria advertido sua filha, que manteve trancada por 24 anos no porão, que se ela "tentasse algo" ele encheria a casa subterrânea de gás.

Os investigadores acreditam que isto explica, em parte, a razão de os prisioneiros de Josef nunca terem tentado atacado seu "carcereiro" para fugir.

Josef Fritzl declarou que instalou um temporizador na porta de aço instalada na porta do abrigo para o caso de ela ser aberta.

Segundo o porta-voz da Polícia, seis técnicos, dos 35 que investigam a propriedade do austríaco, realizam análises para averiguar o funcionamento desta porta.

Elisabeth e cinco dos filhos que teve da relação incestuosa com seu pai estão internados em uma clínica, nas proximidades de Amstetten, instituição na qual recebem cuidados especiais de psiquiatras e outros especialistas.

Kerstin, de 19 anos, a filha mais velha de Fritzl e Elisabeth, continua internada em outro hospital de Amstetten, em estado grave, após ficar inconsciente no cativeiro, o que fez com que seu pai a levasse para o hospital no último sábado e desencadeasse a descoberta do caso pela Polícia.

Leia mais sobre: seqüestro

    Leia tudo sobre: seqüestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG