Autoridades ignoram causas do acidente aéreo em Madri

As causas do acidente de avião que deixou 153 mortos e 19 feridos nesta quarta-feira no aeroporto de Barajas, na região de Madri, ainda não estão claras, segundo a imprensa espanhola.

AFP |

No momento da decolagem, a turbina esquerda do avião pegou fogo e o aparelho se desequilibrou, saindo pela lado direito da pista, antes de partir e se incendiar.

Alguns especialistas destacaram que apenas o incêndio da turbina não seria o suficiente para explicar o acidente, que pode ter ocorrido por mais de uma causa, já que a tendência do avião era sair para a esquerda.

Segundo a ministra espanhola de Fomento, Magdalena Alvarez, o avião fez duas tentativas de decolagem e na segunda vez o MD-82 tirou as rodas da pista.

A imprensa espanhola afirma que durante a primeira tentativa de decolagem o comandante detectou um problema no termômetro externo, o que provocou um atraso de cerca de uma hora.

Magdalena Alvarez garantiu que foi um "acidente" e não um ato terrorista.

Os McDonnell Douglas 82 são aviões de concepção antiga, mas muito seguros e utilizados em todo o mundo.

A Boeing, que comprou a McDonnell-Douglas em 1997, já anunciou sua disposição de colaborar com os investigadores espanhóis para determinar as causas do acidente.

O avião tinha 15 anos e sua última revisão ocorreu em janeiro, informou um responsável da Spanair, mas Magdalena Alvarez disse que o último exame foi feito em 2007.

gg/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG