Autoridades exibem helicóptero de operação que libertou reféns das Farc

BOGOTÁ - Autoridades militares colombianas exibem a partir hoje um dos dois helicópteros que participaram da Operação Xeque, que, em 2 de julho, permitiu resgatar 15 reféns das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt e três americanos.

EFE |

O aparelho, um MI-17 de fabricação russa, foi colocado em uma área ao ar livre na Corporação de Feiras e Exposições de Bogotá (Corferias), no centro oeste da cidade. Vários militares transferiram, nesta terça-feira, por terra, o helicóptero. A aeronave partiu de uma base aérea e passou por avenidas de Bogotá, sem as pás, para prevenir acidentes, em um percurso noturno e para a surpresa de pedestres e moradores.

O helicóptero ainda conserva as cores branco e vermelho com as quais foi pintado para esconder o verde militar, e que usou durante a operação desenvolvida em uma paragem das selvas do departamento do Guaviare (sul).

Dentro do aparelho, ao qual os visitantes da Corferias têm acesso, o Exército colocou as fotografias dos reféns que recuperaram a liberdade, em cada uma das cadeiras que ocuparam no dia do resgate.

Silhuetas de rostos foram colocadas nos lugares nos quais viajaram os integrantes das Forças Militares que se fizeram passar por técnicos, "jornalistas", "enfermeiros" e funcionários de uma ONG que serviu de fachada para os rebeldes acreditarem que se tratava de uma missão humanitária de transferência de reféns.

Além de Betancourt, que estava em poder das Farc desde fevereiro de 2002, foram libertados os americanos Keith Stansell, Marc Gonsalves e Thomas Howes, assim como 11 agentes da Polícia e do Exército.

Leia mais sobre Farc

    Leia tudo sobre: colômbiafarc

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG