Teerã, 16 set (EFE).- As autoridades iranianas levantaram a suspensão contra o jornal pró-reformista Sharq, cuja publicação foi proibida há 25 meses, após ser acusado de divulgar falsidades.

Em declarações divulgadas hoje pelo jornal "Etemad", o advogado da publicação, Mahmoud Alizadeh Tabatabi, disse que o "Sharq" voltará às bancas em breve.

O advogado revelou também que o diretor do jornal, Mahdi Rahmanian, foi condenado a pagar uma multa de 10 milhões de riales (pouco mais de 700 euros).

O "Sharq", o jornal privado de maior tiragem no Irã, saiu à venda há seis anos e desde então foi censurado em três ocasiões. EFE msh/an

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.