Autoridades do Irã bloqueiam pela 3ª vez Facebook, usado por Moussavi

Teerã, 13 jun (EFE).- As autoridades iranianas voltaram a bloquear hoje, pela terceira vez nos últimos meses, o acesso à rede de relacionamentos sociais na internet Facebook.

EFE |

A página tinha sido adotada como uma das plataformas de mobilização da campanha do candidato reformista à Presidência Mir Hussein Moussavi, que hoje denunciou uma ampla fraude nas eleições de sexta-feira, nas quais o atual presidente, o ultraconservador Mahmoud Ahmadinejad, foi reeleito.

O ex-primeiro-ministro assegurou ter vencido o pleito logo após o fechamento dos colégios eleitorais, e, entre as irregularidades denunciadas por seus colaboradores, Moussavi destacou "a adulteração" da comunicação através de mensagens de SMS, que tinham sido importantes nos dias anteriores para mobilizar os eleitores.

A campanha do reformista afirmou que este era o sistema com o qual os observadores tinham previsto também denunciar os casos de fraude durante a votação.

Hoje, embora as ligações por telefone celular continuassem sendo difíceis, os SMS voltaram a ser fundamentais para reunir os seguidores de Moussavi, que protestaram em diferentes pontos de Teerã gritando: "Este não é meu voto".

A segunda vez em que as autoridades iranianas impediram o acesso ao Facebook foi um dia antes do início da campanha eleitoral.

Esse dia, mais de cinco mil pessoas já haviam confirmado apoio a Moussavi, que continuou recebendo adesões durante as duas semanas que antecederam a votação.

A rede voltou ao ar depois que, durante uma entrevista coletiva concedida à imprensa, o presidente Ahmadinejad foi perguntado sobre o bloqueio ao site. EFE jm/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG