Autoridades de Xinjiang afirmam ter situação sob controle

XANGAI - O prefeito de Urumqi, Jerla Isamudin, afirmou nesta quarta-feira que as autoridades da capital regional de Xinjiang, noroeste da China, têm a situação sob controle, três dias depois dos distúrbios étnicos que deixaram pelo menos 156 mortos e mais de mil feridos na localidade.

Redação com agências internacionais |

"Sob a correta liderança do comitê regional do partido e do governo, a situação está sob controle agora", declarou Isamudin ao canal estatal de TV.

Ao mesmo tempo, o chefe do Partido Comunista Chinês de Urumqi, Li Zhi, afirmou que qualquer pessoa considerada culpada de assassinato durante os distúrbios será condenada a morte.

"Aqueles que mataram brutalmente nos incidentes serão sentenciados a morte", declarou Zhi em uma entrevista coletiva em Urumqi. Segundo a lei chinesa, qualquer pessoa declarada culpada de assassinato pode ser condenada à pena de morte.

"Todos, e em particular os hans, devem mostrar calma e moderação", completou a principal autoridade do partido na cidade, em uma advertência à comunidade étnica majoritária na China, que deseja vingança depois dos atos de violência cometidos no domingo pelos uigures de Urumqi.

As autoridades chinesas mobilizaram nesta quarta-feira milhares de soldados e policiais em Xinjiang, que se uniram ao já grande dispositivo de segurança na região.

A dissidência uigur, a principal minoria da região de Xinjiang, de religião muçulmana, afirma que 400 membros da comunidade morreram durante os distúrbios com os hans, a etnia majoritária no país.

Leia também:

Leia mais sobre: China

    Leia tudo sobre: chinaxinjiang

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG