Autoridades de Puntlândia confiam na libertação de jornalistas seqüestrados

Bossaso (Somália), 30 nov (EFE) - As autoridades da região autônoma de Puntlândia, na Somália, esperam concluir com sucesso as operações para libertar um jornalista espanhol e outro britânico seqüestrados na quarta-feira passada, disse a hoje à Agência Efe o chefe da Polícia de Bossaso, general Gani Mohammed Abdi.

EFE |

As forças de segurança de Puntlândia, onde foram capturados o fotógrafo espanhol José Cendón e o jornalista britânico Colin Freeman, mantêm controles em todas as saídas de Bossaso, a principal cidade da região, e buscam testemunhas do seqüestro, reiterou hoje o comandante policial.

Abdi afirmou que os homens estão na região montanhosa de Sanaag, 20 quilômetros ao sudoeste de Bossaso, e os agentes se encontram "nas imediações".

Por sua vez, Muse Geele, o governador da região de Bari, situada ao sudeste de Bossaso e vizinha de Sanaag, disse à Efe que cinco pessoas foram detidas na jurisdição por ligação com o seqüestro dos jornalistas, mas não deu outros detalhes.

Porta-vozes policiais em Bossaso tinham informado no sábado que duas pessoas haviam sido detidas em relação ao seqüestro.

Geele também acusou de envolvimento no seqüestro de Cendón e Freeman dois jornalistas somalis que atuavam como intérpretes e mediadores noticiários, identificados como Awaale Jama Salad e Muqtra Said Omar.

As afirmações de Geele coincidem com as de autoridades do Governo autônomo de Puntlândia, que afirmaram que Cendón e Freeman foram seqüestrados pelos tradutores somalis, em colaboração com um grupo armado não identificado, quando iam para o aeroporto desta capital para deixar a zona. EFE as/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG