As autoridades chinesas prometeram uma punição severa aos responsáveis pelos distúrbios étnicos em Xinjiang, onde no domingo morreram 156 pessoas, depois de uma reunião entre o presidente do país, Hu Jintao, e os principais nomes do governo, informou a agência estatal Xinua (Nova China).

Jintao, que retornou a China sem participar na reunião de cúpula do G8 na Itália, reuniu o comitê permanente do gabinete político do Partido Comunista chinês, a maior instância dirigente do país.

"A estabilidade em Xinjiang é a tarefa mais importante e diligente", afirma um comunicado divulgado após a reunião.

A direção comunista prometeu uma punição severa, como estabelece a lei, para os culpados, destaca a agência oficial.

Pelo menos 156 pessoas morreram no domingo nos confrontos étnicos em Urumqi, capital da região de Xinjiang, entre hans, etnia majoritária na China, e uigures, muçulmanos de línga turca e principal minoria da região.

pt/fp

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.