Autoridades chinesas detêm novo suspeito de adicionar melamina a leite em pó

PEQUIM - A Polícia da província de Hebei, no norte da China, deteve hoje uma pessoa suspeita de produzir a maior quantidade de composto proteínico com melamina no escândalo do leite adulterado com esse químico, informou hoje a agência oficial Xinhua.

EFE |

O detido, Zhang Yujun, mora no distrito de Quzou, em Hebei, e supostamente produziu mais de 600 toneladas de composto proteínico à base de melamina e maltodextrina no último ano.

A maltodextrina é um aditivo alimentar, facilmente digerível pelo organismo e absorvível como a glicose, mas a melamina é um produto tóxico que causa problemas renais.

As autoridades locais disseram que Zhang trabalhava em uma fazenda da cidade de Jinan, na vizinha província de Shandong, após aprender de forma caseira a elaborar o produto.

Com esta detenção, já são 36 os detidos em toda a China relacionados ao caso do leite infantil em pó adulterado.

O escândalo veio a público em setembro, depois que o consumo de leite em pó contaminado provocou a morte de quatro bebês e afetou mais de 53 mil crianças.

O escândalo, no qual se viram envolvidas as principais companhias leiteiras, afetou também as exportações do país.

Leia mais sobre leite adulterado

    Leia tudo sobre: china

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG