Santiago do Chile, 24 jun (EFE).- As autoridades de saúde do Chile confirmaram hoje a morte de um jovem de 22 anos pela gripe suína na região de La Araucanía, sul do país, que se transformou no oitavo morto pelo vírus AH1N1 no Chile.

Felipe Solís, estudante de Odontologia, recebeu na terça-feira atendimento em um centro médico da pequena localidade de Loncoche, mas seu estado de saúde piorou à noite e ele foi levado a um hospital de Temuco, a 673 quilômetros de Santiago, onde não resistiu e morreu.

Gloria Cuevas, diretora do serviço regional de Saúde de La Araucanía, afirmou que o estudante tinha dado entrada em 19 de junho na Clínica Alemã de Temuco apresentando sintomas do vírus, mas não foi hospitalizado porque não mostrava sinais de gravidade e só recebeu o tratamento antiviral.

Cuevas assegurou que foram adotadas as medidas para verificar o estado de saúde das pessoas que estiveram em contato com o jovem, e esclareceu que não há antecedentes clínicos que indiquem que Solís sofria de algum tipo de problema cardíaco.

O Instituto de Saúde Pública chileno elevou nesta terça-feira a 5.186 o número de contagiados pela gripe no país, dos quais 183 se encontram em estado grave.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE gs/db

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.